Desenvolvimento Ético, Verde, Sustentável

Mudanças climáticas e a erosão das fontes naturais do mundo e de seu balanço têm se tornado os assuntos de definição do século XXI. A geração mais jovem clama por desenvolvimento multilateral, portanto, é essencial que o mercado privado responda com investimento e participação ética e sustentável. Essa é a forma com a qual governos e investidores responsáveis podem cooperar para enfrentar a crise climática.

Para limitar o aumento da temperatura global em 1.5C, estima-se que 6 trilhões de dólares por ano precisam ser redirecionados globalmente para investimentos verdes, sustentáveis e éticos, de forma a reformular as cidades, os sistemas de energia, a infraestrutura e o uso da terra ao redor do mundo.

Desse montante, algo como dois terços devem ser investidos em países em desenvolvimento. Esses países têm as maiores populações e as que crescem mais rapidamente. Esse valor estimado é muitas vezes maior do que as taxas de investimento atuais que precisam aumentar consideravelmente no futuro próximo.

Mais importante ainda é a geração dos Millennials e nossas crianças que lutam por ações mais rápidas dos governos, das instituições multilaterais e das corporações. “Enterrar nossas cabeças na areia” ou “negócios normais” são políticas do passado. Fazemos parte de uma corrida global para substituir combustíveis fósseis por energia renovável. Até o presente momento, esse esforço tem sido uma via de mão única do mercado privado.

O “bem comum” nas Finanças “Verdes”, Sustentáveis e Éticas é um mercado relativamente pequeno. Ainda assim, esse mercado se expande rapidamente e é um elemento importante do desenvolvimento ético e sustentável. Isso poderia resultar em uma oportunidade de crescimento positiva para a comunidade financeira global e, ao mesmo tempo, uma tomada de posição na melhoria da sociedade ou da comunidade.

Moda Sustentável

Trata-se de um movimento e um processo para incentivar a mudança na indústria da moda. Uma integridade ecológica maior e justiça social são nossas metas. Com esta proposta em mente, desenhamos produtos e reconfiguramos a indústria – não apenas os produtos ou tipos de têxteis utilizados, mas os sistemas de design e produção.

Nosso engajamento se dá com sistemas sociais, culturais, ecológicos e financeiros interdependentes. Isto significa que consideramos a moda da perspectiva de muitos envolvidos – usuários e produtores, todas as espécies de vida, moradores da Terra atuais e futuros. A moda sustentável, portanto, pertence e é da responsabilidade dos cidadãos, do setor público e do setor privado.

Redesenhar um sistema na indústria da moda leva em consideração todas as facetas do progresso, ao invés de fazer mudanças e modificações isoladas. Por exemplo, substituir uma fibra tóxica por uma menos prejudicial ao meio ambiente é benéfico, mas somente até o ponto em que o volume de produção possa ser controlado. Aumentar a produção sem considerar outras preocupações éticas e de sustentabilidade pode vir a eliminar os benefícios da utilização de matérias primas superiores e mais seguras.

Mercado Imobiliário Sustentável

No dia 12 de dezembro de 2015, a história escreveu uma nova página em Paris, quando 195 países concordaram em trabalhar juntos para enfrentar substancialmente o aquecimento global, limitando-o a um máximo de 2º.C, possivelmente 1.5º.C, e eliminar combustíveis fósseis até o fim do século XXI. Mais do que nunca, os governos de todo o mundo estão agora desafiados a encontrar formas de custo eficientes para enfrentar a poluição, com todos os mercados e todas as economias enfrentando análises minuciosas. A indústria da construção tem uma das pegadas de carbono mais altas – atualmente contribui com 30% das emissões de gás de estufa global anual (GHG) e consome aproximadamente 40% da energia mundial. Acompanhar os compromissos feitos em Paris significa evitar 77% em emissões totais de CO2 no mundo da construção até 2050 se comparadas aos níveis atuais. A mitigação do problema nesse setor tem um potencial imenso.
Sabemos que essas metas são críticas e que necessitarão de um investimento financeiro substancial. Para apoiar investidores do mercado imobiliário nesse trabalho, a Iniciativa de Financiamento do Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas e seus parceiros globais (IGCC, IIGCC, Ceres INCR, PRI e os RICS) desenvolveram um plano de ação para considerar assuntos relacionados ao clima para os envolvidos com o mercado imobiliário, não importando o tamanho ou o nível já existente de sofisticação de ESG. Esse plano de ação inclui publicações dos últimos cinco anos, que sejam relevantes aos envolvidos com o mercado imobiliário no processo de investimentos. O resultado é um guia amigável e de fácil utilização que encoraja os envolvidos a agir com responsabilidade, ética e sustentabilidade.
Fechar Menu